Sob regência do maestro Evandro Matté, a OEMT exibe peças de Pixinguinha, Vinicius de Moraes, Toquinho, Edu Lobo e Milton Nascimento

Os bons ventos trazem Carlos Malta para os Concertos Oficiais de setembro, que ocorrem no Cine Teatro Cuiabá, dias 23 e 24, sempre às 20h. Sob regência do maestro Evandro Matté, titular da Orquestra Sinfonia de Porto Alegre, a Orquestra de Mato Grosso exibe repertório dedicado à família das madeiras, com Malta tocando flauta em C, flauta baixo, clarone, sax soprano, sax tenor e pífano. Não é à toa que ele recebeu a alcunha de “O encantador de vento”.

Malta une-se à Orquestra de Mato Grosso para homenagens, releituras e para apresentar peças de sua autoria. Alinhada ao ano de comemoração dos 120 anos de nascimento do mais famoso chorão, Alfredo da Rocha Vianna Filho, o Pixinguinha, serão exibidas três grandes obras: “Lamentos”, “Dininha”e “Carinhoso”. A propósito, em 2017 celebra-se o marco de 100 anos de “Carinhoso”, um verdadeiro hino do cancioneiro popular brasileiro.

Na sequência, Malta e a OEMT exibem canções de dois expoentes da Música Popular Brasileira, “Cais”, de Milton Nascimento e “Beatriz”, de Edu Lobo. Além de “Canto de Oxum”, de Sophia de Mello Breyner, Toquinho e Vinicius de Moraes. Por fim, Carlos Malta apresenta peças de sua autoria, como “Suite Pifemuderna”, “Tupyzinho”, “O trem”, “Lá no Suzano”, “Luz da Lua”, “Sou sim/ Soul sin” e “Espokando”.

Inclinada a trazer à memória importantes obras da literatura universal, a Orquestra de Mato Grosso também reverencia a obra de Anton Arensky. O compositor russo era profundo admirador de Tchaikovsky, no qual se inspirou para criar a peça “Variações sobre um tema de Tchaikovsky”, Op. 35, reservada a abertura dos Concertos Oficiais de setembro.

A Temporada 2017 da Orquestra do Estado de Mato Grosso é uma realização do Governo de Mato Grosso por meio da Secretaria de Estado de Cultura e conta com patrocínios do Grupo Petrópolis, Agro Amazônia e Ihara. Apoio cultural, Amazon Plaza Hotel, Rühling Consultoria e Fisk Inglês e Espanhol.

Carlos Malta

Malta consolidou seu nome entre grandes referências mundiais do sopro ao explorar muitas possibilidades e timbres de diversos instrumentos. Em especial, ao realizar uma leitura contemporânea de clássicos populares e se alinhar a vultuosos nomes da inesgotável criatividade brasileira, como é o caso do parceiro Hermeto Paschoal.

Empenhado em diversos projetos musicais, Malta conquista plateias de todo o mundo e é aclamado pela crítica por onde passa. Tamanho reconhecimento também lhe rendeu uma indicação ao Grammy Latino, pelo álbum Carlos Malta & Pife Muderno.

Malta é mestre na alquimia de somar à música tradicional dos rincões do país à modernidade sonora, enamorando-se de outros gêneros, como o jazz e o choro. E na busca ávida pelo conhecimento musical cosmopolita, dedica-se a executar obras musicais em instrumentos étnicos de várias origens, dentre as quais, flautas chinesas (Di-Zi), japonesas (shakuhachi), indígenas e o pife brasileiro.

Evandro Matté

Seu primeiro contato com a música foi aos 7 anos de idade na “Banda Marcial” do colégio em que estudava, em Caxias do Sul/RS, tocando trompete. Aos 15 já integrava a Orquestra Sinfônica de Caxias do Sul. Dois anos depois, começou a cursar Engenharia Civil e a Escola De Música Da Orquestra Sinfônica De Porto Alegre (OSPA) ao mesmo tempo.

Aos 19 anos, assumiu a cadeira de trompetista que ocupa até hoje na Orquestra Sinfônica De Porto Alegre. Depois de graduar-se em Música pela Universidade Federal Do Rio Grande Do Sul (UFGRS), fez especializações na University Of Georgia (Estados Unidos) e no Conservatoire De Bordeaux (França).

Atraído pela regência, passou a atuar como maestro em festivais, participando de inúmeros Masterclasses, inclusive com o aclamado maestro Kurt Masur. Em 2007, assumiu a Orquestra Unisinos Anchieta. Na UNISINOS, também é coordenador cultural, estando à frente do projeto social Vida Com Arte, que atende 250 crianças e jovens alunos de escolas públicas, que recebem aulas de instrumentos, classes de cidadania, atendimento psicológico e acompanhamento de assistentes sociais.

Como maestro da Orquestra Unisinos Anchieta, tem atuado com importantes solistas do cenário da música de concerto entre eles: David Guerrier (França), Emmanuele Baldini (Itália), Fred Mills (Estados Unidos), Pierre Dutot (França) e Yang Liu (China). Além disso, atuou em parceria com importantes nomes da música popular brasileira, entre eles: Fafá de Belém e Kleiton & Kledir.

É diretor artístico do Festival Internacional Sesc De Música, que é realizado anualmente em Pelotas, desde 2011, e que se constitui num dos maiores eventos de música de concerto da América Latina. O Festival reúne mais de 50 professores de 12 países, 300 alunos do Brasil e América Latina e 48 espetáculos em 13 dias.

Atualmente, é regente titular da Orquestra Sinfonia de Porto Alegre.

SERVIÇO

Orquestra de Mato Grosso recebe Carlos Malta

Dias 23 e 24 de setembro

No Cine Teatro Cuiabá, sempre às 20h

Ingressos disponíveis pelo site www.ingressosmt.com.br ou na bilheteria do Cine Teatro Cuiabá (na semana do concerto)

Valores R$20 e R$10

Informações 65 3027-1824

Doze horas de arte neste sábado no Sesc ArsenalInscrições abertas para oficina infantil no Viveiros Tangará
error: Conteúdo sem permissão para copiar. Desculpe!